segunda-feira, 4 de março de 2019

Sessão de abertura

A Maré de Contos inicia-se no dia 6 com Miguel Horta e Thomas Bakk, a não perder pelas 21h30 no clube de Tavira.
 Miguel Horta: Pintor, mediador cultural, contador de histórias e ilustrador. Para a Maré de Contos é um verdadeiro padrinho, pois dele nasceu o nome para este evento. Autor de 3 livros, tem ainda um largo percurso nas artes plásticas com exposições individuais e coletivas e desenvolve um trabalho de mediador cultural e promoção da leitura um pouco por todo o país.


Thomas Bakk:
Brasileiro de sotaque,
Português de coração,
O meu nome é Thomas Bakk,
Contautor de profissão.
Tenho obras Publicadas
Por diversas editoras
E outras tantas editadas,
Por ações empreendedoras.
Também peças encenadas
No Brasil, em Portugal,
Entre as muitas já criadas
No âmbito teatral.
Fui ainda guionista
Da Rede Globo alguns anos,
Mas na carreira de artista
Investi em outros planos.
Atualmente trabalho
No ofício de contautor
E cada palavra que talho,
É com alma de escultor.
Conto histórias que são
Da minha própria autoria
E utilizo a narração
Com linguagem de poesia.

sábado, 2 de março de 2019

Baile Contado

Os Santos da Casa trazem à Maré de Contos os bailes contados nos quais juntam sons e ritmos a histórias vindas de todo o mundo. Através de contos tradicionais e de autor, os espectadores são convidados a deixarem-se embalar por música e palavras e embarcarem numa viagem para mundos onde tudo é possível. De mão em mão, de par em par e em bailes de roda se faz esta viagem que começa na Maré de Contos e não se sabe onde irá parar. Os Santos da Casa são compostos por Carlos Boita (piano e melódica), Paulo Botelho (percussões), ambos membros dos Piajon, e Fernando Guerreiro (contador de histórias e guitarra), autor do projecto Micro Contos. 
Dia 8 de março pelas 22h00 no Clube de Tavira. Entrada gratuita.

Contos do Mundo

Sofia Maúl e Fernando Guerreiro juntam-se para os CONTOS DO MUNDO nuam sessão bilingue. No dia 7 de março pelas 19h00 no Távila Café.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

Livros e Contos para pessoas especiais

6 e 7 de Março

18h às 20h30

na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos | Tavira

Oficina de narração oral e mediação leitora para pessoas com necessidades educativas especiais.

Público-alvo: educadores, professores.

Inscrições: na Biblioteca Municipal Álvaro de Campos ou através do e-mail biblioteca@cm-tavira.pt

“O pintor, contador de histórias Miguel Horta, cruza imaginários como quem mistura pinceladas de cor. Pragas algarvias, contos crioulos, histórias de pescadores tudo cabe no seu saco.

É mediador do livro e da leitura em bairros, prisões, bibliotecas, escolas, ruas e barcos. Miguel Horta é um pintor que escreve e ilustra os seus livros ao sabor do levante que sopra pela ria e pelos duros arrifes do barlavento. Desde criança que teve o contacto decisivo com o mar e todos os mentirosos imaginativos que seguiam a bordo. Talvez mais importante que os peixes, sejam as pessoas com as suas histórias; foi assim que se embrenhou pelo interior do país descrevendo outras vivências que podemos escutar nos seus textos ilustrados e nos contos partilhados em português e crioulo (Cabo Verde).

Provavelmente essa preocupação com o outro, em textura social, o tenham transformado num mediador de livro e da leitura reconhecido por todos que acolhem as suas oficinas educativas em bibliotecas ou intervindo directamente em situações de exclusão social ou cultural. Horta tem, ainda, um importante trabalho de narração oral e mediação leitora junto de pessoas com necessidades educativas especiais.

A maré cheia deixou-nos este mediador contador pousado nas areias da nossa praia, como se fosse um salvado do mundo contemporâneo”

In: http://narracaooral.blogspot.com/2018/01/miguel-horta_15.html

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Oficina de ilustração



Tendo como ponto de partida alguns dos textos  do livro “Olhos Tropeçando em Nuvens e outras coisas - haicais ou quase”, com texto de João Pedro Mésseder,  os alunos vão fazer ilustrações utilizando um círculo vermelho (uma alusão à bandeira Japonesa) e tinta-da-china.

Pincéis, palhinhas, paus, carimbos e tinta-da-china preta são as ferramentas utilizadas para ilustrar os Haicais, num diálogo entre o texto, o desenho e o círculo vermelho.


Rachel Caiano,
artista plástica e ilustradora que tem vindo a desenvolver projetos nas áreas de edição de objetos de autor, pintura, cenografia e ilustração. Finalista do Prémio Criadores 2007 e do Prémio SPA 2013. Alguns dos seus livros constam da exposição The White Ravens 2008 e 2009, uma selecção internacional.

Exposição - “Olhos Tropeçando em Nuvens e outras coisas - haicais ou quase”



na Biblioteca Municipal
trabalhos resultantes de uma oficina de ilustração com Rachel Caiano
Alunos do Curso de Artes Visuais da Escola Secundária de Tavira

domingo, 10 de fevereiro de 2019

Feira do Livro para a infância

Durante a Maré de Contos decorrerá, na Biblioteca Municipal, uma Feira do Livro para a infância.
Esta mostra reúne diversas editoras como a Kalandraka, a Oqo, a Planeta Tangerina, a Orfeu Mini, entre outras e disponibilizará um conjunto variado de livros de autores portugueses e estrangeiros.